A vida magoa-nos. O yoga, ajuda-nos.

Estamos numa sociedade exigente, visual e mentalmente desgastante. Sentimos-nos psicologicamente sugados pelas exigências das nossas vidas sócio-profissionais cada vez mais aceleradas e não conseguimos antever a luz no fundo do túnel. Estamos decepcionados com a imagem do nosso corpo, pelas nossas capacidades físicas e intelectuais e achamos que não existe remédio… Vivemos magoados.

Uma das mensagens do Yoga, se não for mesmo a mensagem mais importante, tem a ver com o reconhecimento deste nosso sofrimento e na caminhada individual para se libertar dos tormentos criados pela mente. O Yoga diz-nos que existe um remédio, somos a nossa própria salvação.

O problema é que os nossos pensamentos acontecem aos milhares e ficamos parados vezes sem conta em constatações tristes ou frustrantes, embrenhados num mundo de fumo e de realidades alternativas do que “achamos que as coisas são” ou “como deveriam ser“. Ser consciente da natureza dos nossos pensamentos vai permitir que os possamos controlar, mas não isto não será suficiente se quisermos viver de uma forma diferente. Além de ser necessário treinar a nossa auto-consciência, para viver uma vida plena e alcançar o nosso propósito de libertação, teremos de permanecer neste estado. Só assim poderemos viver felizes.

Temos portanto de aprender a viver auto-conscientes para vivermos felizes. A verdade é que somos os unicos responsáveis pelos nosso pensamentos. Se estamos tristes, frustrados ou com raiva, somos nos que produzimos estes sentimentos e não o mundo que nos rodeia (os outros, a economia, o governo…) e à medida que vamos criando mudanças nas nossas percepções, irão acontecer as mudanças, os milagres…

É também necessário confiar e afirmar que somos capazes de mudar os nossos pensamentos para alterar as percepções das nossas experiências individuais no momento em que estamos consciente dos nossos desconfortos, das nossas acções e comportamentos erróneos. Mas conseguir estar atento à mente quando ela teima em dizer ou fazer o que lhe parece ser o mais óbvio para se aliviar de qualquer situação desconfortável, requer esforço, força de vontade e não é nada fácil…

Como poderíamos ter uma vida plena se o que vemos é motivo de desapontamento?
Como podemos pretender atrair paz e sossego se decidirmos ir à luta e retribuir na mesma moeda?

Aqui está todo o processo da maturidade espiritual, o de não decidir ceder ao que nos sabe bem no momento, criando um baixo nível vibratório que não é de todo compatível com as nossas aspirações a uma vida de abundância e prosperidade. Se queremos mudar a nossa vida, mudar os nossos pensamentos é o primeiro passo. Temos de mudar o interior para transformar o exterior.

E continuamos a reparar na “falta de bom senso” dos outros, nas “pessoas egoístas” ou “egocêntricas”, e continuamos a achar que os outros deveriam pensar como nos. Criamos sentimentos de revolta, ficamos indignados e frustrados das atitudes e comentários inconvenientes ou fora de propósito… Estas são as nossas oportunidades para nos tornar pessoas melhores, e é  nestes momentos que estamos a ser  guiados pelo nosso Eu interior para escaparmos aos erros da nossa própria mente (Kleshas).

No Yoga, ouvir a nosso Eu interior, ou intuição,  não é nada mais do que a nossa capacidade em tomar uma decisão, rumo a acção, sem qualquer motivação emocional. É uma decisão isenta de influências. A intuição é o que desenvolvemos ao silenciar a mente. É decidir agir sem estar em Maya (embrenhados num mundo de fumo), ou seja, quando não estamos a viver em piloto automático seguindo os nossos impulsos e guiados pelas emoções criadas pelos nossos pensamentos.

Quando estamos em modo “consciente“, as nossas decisões são independentes dos resultados apesar de sabermos que haverá um efeito decorrente do que foi decido. Desaparece então a ansiedade e aceitamos viver o momento.
O Yogi não é aquele que procura um resultado especifico, é aquele que procura viver sem a influência do mesmo, rumo a paz interior. Assim, a vida transforma-se.

IMG_6407

Foto por Mário Fragoso: www.fragosomario.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: