Slow Living Yoga

O Blogue dos Yogis que vivem na cidade.


Deixe um comentário

3 horas de Yoga com Jean-Pierre de Oliveira

Yin & Hatha Yoga |Masterclass 29.07. Das 10h às 13h. Lisboa

Vivemos numa sociedade exigente. Exige-nos pressa, tempo, atenção. As exigências das nossas vidas socio-profissionais cada vez mais aceleradas sobrepõem-se a nós. É por isso que precisamos do Yoga.

Aqui Jean-Pierre propõe 2 estilos de Yoga diferentes com o mesmo propósito: A sua prática de yoga não deve fazer de si algo que não é, mas sim estimulá-lo para que se torne a melhor versão possível de si mesmo
Masterclass:
. Hatha Yoga: 60 minutos de prática fluida, dinâmica e intensa onde o trabalho muscular e cardio vascular será preponderante. Os asanas serão adaptados as características bio-mecânicas do aluno.
. Yin Yoga: 75 minutos de prática com asanas sentados ou deitados com permanências de 3 a 4 minutos para um trabalho mais profundo dos tecidos internos e propícios a introspecção.
. Meditação: guiada por Jean-Pierre de Oliveira. 45 minutos.

Condições de acesso: Prática adequada a praticantes com conhecimentos de Yoga.
. Participantes: 25€
. Alunos do Estudio: 2 aulas cartão + 5€
. Alunos do curso de prof. sob consulta

Evento no Facebook: AQUI

Para mais informações e confirmação de presença enviar um email para Info@yoga-spirit.pt

#slowlivingyoga #jpierre_yogaspirit
Foto editada de @franciscoevangelista

IMG_4737

 


8 comentários

Curso de Prof. em Hatha Yoga Funcional 10ªEdição

Este curso, ministrado por Jean-Pierre de Oliveira, está registado na YOGA ALLIANCE EUA e foi desenvolvido a pensar nos praticantes que não pretendam seguir uma vertente filosófica específica mas que queiram aprofundar conhecimentos, esclarecer as suas dúvidas e melhorar a sua prática.

HATHA YOGA FUNCIONAL  
Mais do que uma reprodução da postura perfeita, procuro que o aluno encontre a possibilidade de expressar a sua própria criatividade.

Todas as pessoas são diferentes, todos os corpos são diferentes: assimétricos, com mais ou menos flexibilidade, mais ou menos sensibilidade. Não há dois corpos iguais, não há duas formas de sentir idênticas. Não podem existir duas representações da mesma postura iguais.
A sua prática de yoga não deve fazer de si algo que não é, mas sim estimulá-lo para que se torne a melhor versão possível de si mesmo. No Yoga aprendemos a ser sinceros e dedicados, primeiro connosco, e com o tempo, com os outros”.

OBJECTIVOS GERAIS DO CURSO
• Formar professores de Yoga sem direccionar para uma vertente filosófica especifica.
• Perceber melhor o mundo do Yoga, as suas linguagens e ideologias.
• Aprendizagem dos conhecimentos essenciais para se prosseguir no estudo do Yoga ou dar aulas.
• Dominar as técnicas e metodologias para praticar e dar aulas de forma segura e responsável.

10 meses de formação: 1 fim de semana por mês.

Para mais informações sobre conteúdo programático, valores e requisitos enviar email para info@yoga-spirit.pt

IMG_6141


Deixe um comentário

E agora, o Yoga começa

A vida passa, o tempo esgota-se sem darmos por isso. Todos sentimos o mesmo. E sentimos que queremos retirar mais desta vida, destes momentos que nos passam entre os dedos como se fossem grãos de areia. Queremos sentir que algo permanece, que a nossa presença física e que as nossas ações não sejam só uma memória. Queremos sentir que tudo o que fazemos, não seja só uma história passada, da qual só nos resta vagas recordações que vão desvanecendo com o tempo. Mais ainda, queremos que as memórias deixem de ser recordações e que permaneçam connosco e com os outros, que nos acompanhem na nossa jornada de seres humanos, a cada momento e para todo o sempre. Queremos não ter de olhar para trás para criarmos o sentimento e a sensação segura que a nossa vida valeu a pena, e que depois de deixarmos este corpo, que algo subsista na consciência universal e que tenha alguma utilidade para a expansão da mesma.

Queremos praticar yoga, achamos que “é por aí” que nos faz sentido caminhar para responder a esta necessidade de valorizar a nossa existência. O yoga é uma forma de se alcançar várias coisas ao mesmo tempo e por vezes nem sabemos o quê, nem sabemos bem qual o nosso objetivo final, mas temos a nítida intuição que faz parte do nosso desenvolvimento, e isto, também não sabemos bem porquê. Talvez queiramos alcançar algo que nos faça sentir bem…e de todas as opções que nos foram apresentadas, o Yoga é aquele que nos atrai mais, que nos seduz mais, por ser uma modalidade “filosófico-prática”, em volta de ciência mística e de filosofia milenar, por estar sempre à mão e ser completamente exótica ao mesmo tempo, por não requerer nenhuma habilidade específica em particular e porque a sua principal ferramenta somos nós mesmos. Isto, todos temos, porque está aí ao nosso alcance, ou pelo menos assim parece…

Parece tão simples mas continuamos a deixar passar o tempo, e ele passa, vai, e acaba por se confundir com a nossa imaginação. Deixamos de acreditar que a um certo ponto o que perdemos já foi o presente. E passamos o presente a reviver este passado perdido para não o esquecermos de forma definitiva. Parece mesmo uma história de loucos, e os loucos, somos nós mesmos. E é este quebra-cabeças que o Yoga nos promete resolver dando-nos os meios necessários para encontrar as soluções adequadas, e é o que nos prende, porque nos desafia a superarmos a nossa mente. É um desafio interior que exige de nós que se aceite o facto de sermos o único e principal interveniente do jogo, acarretando com todas as responsabilidades que levaram ao tipo de vida que temos agora, às mágoas que nos pesam, às dificuldades que nos endurecem, aos obstáculos que nos enfraquecem. Uma vez entendidas as regras do jogo, é um jogo que nunca vamos deixar.

Mas, ao acharmos que nos aproximamos da solução e que começamos a entender os princípios deste jogo psicológico, ao desenvolver continua e gradualmente uma visão diferente do mundo que nos rodeia, esta nova consciência mais expandida que se foi desenvolvendo silenciosamente irá criar por si novos desafios que nos levarão cada vez mais próximos de chegar à conclusão que temos de nos desprender do que era o nosso objetivo inicial, para que este seja finalmente alcançado. Teremos assim aprendido ao mesmo tempo o verdadeiro sentido do desapego, tornando-nos mais maduros e mais sábios. E ao alcançar este objetivo final, este mesmo irá levar-nos onde queríamos estar sem darmos por isso: Aqui e Agora.

O yoga é esta ciência, o método que nos dá as ferramentas para mantermo-nos no tempo como se estivéssemos a viver em modo de câmara lenta, permanecendo nos momentos que nos fazem sentir mais vivos, em suma, é viver em permanência com a consciência do momento presente, em estado de iluminação, em Samadhi. Viver em modo de yoga é viver no “aqui e agora” e é quando percebermos este Sutra de Patanjali: atha yoga anushasanam. E agora, o Yoga começa.

O primeiro dos ensinamentos de Patanjali para entendermos o que é o yoga, é afinal, também o último.

IMG_6752


Deixe um comentário

Serendipity…

As exigências das nossas vidas, cada vez mais aceleradas pela urgência do tempo escasso, entre tudo o que “é preciso” ser feito e tudo o que gostaríamos de fazer, levam-nos a viver na ilusão de que só poderemos viver felizes quando tivermos tempo para faze-lo… Acreditamos que não temos tempo para dedicar-nos a nos próprio, ao desenvolvimento da nossa consciência, do nosso bem-estar e vivemos, inevitavelmente, em permanente desilusão.

Para escapar, precisamos de ser conscientes não só dos nossos pensamentos, mas sobretudo da sua natureza. Tomar consciência da nossa forma de pensar é mais do que uma acção, é um estilo de vida. Só assim poderemos viver com calma e serenidade e encontrar alegria e felicidade em tudo o que fizermos…
#slowlivingyoga

IMG_6161


Deixe um comentário

Jean-Pierre de Oliveira no Porto – 9 e 10.12

O professor de Yoga,  Jean-Pierre de Oliveira, estará no Porto para uma sessão dupla de Yoga. Confirme a sua presença, num ou nos dois eventos, via o email: info@yoga-spirit.pt

No dia 9.12 | Jean-Pierre estará no Estudio de Yoga FreeFlow para apresentar o seu Livro, Slow Living Yoga, “Primeiro mudamos nós. Depois mudamos o mundo.” Edições ARENA.
Mais do que um livro, é essencialmente uma partilha intimista de pensamentos relacionados com a aplicação dos princípios filosóficos do Yoga na vida ao quotidiano.

Local: FreeFlow, Rua Vale Formoso, 284 (perto do Jardim da Arca d’Água)
4200-509 PORTO
Para saber mais, veja o evento no facebook: Aqui!

Para ver a entrevista do Jean-Pierre no programa “Faz Sentido”, clicar na imagem.

Screen Shot 2017-11-08 at 09.55.54

No dia 10.12| Todos os meses Jean-Pierre de Oliveira oferece uma prática de Yoga em Lisboa, e agora pela primeira vez no Porto. Não perca está oportunidade de praticar com um dos embaixadores do Wanderlust Portugal.

Com os seus habituais encontros mensais, que já atraem mais de 150 pessoas em Lisboa, tendo lugar reservado a cada último domingo, Jean-Pierre de Oliveira convida-o a participar na conhecida aula por donativo livre.

Local: Antas Prime FitnessRua Prof. Bento Jesus Caraça, 314, Porto
Para saber mais, veja o evento no facebook: Aqui!

                              Para ver o video da última aula comunitária em lisboa, clicar na imagem.

Capturadeecrã2017-11-27às13.11.40-2


Deixe um comentário

Video | Aula de Yoga Completa

Créditos do video, edição e montagem: Ricardo Costa

Com os seus habituais encontros mensais, que já atraem mais de 150 pessoas, tendo lugar reservado a cada último domingo, Jean-Pierre de Oliveira convida-o a participar na conhecida aula por donativo livre.
Esta celebração foi no dia 26 de Novembro, das 10h 30mns às 12h.
Neste domingo, o Professor terminou com o último ciclo dos 8 Ashtangas de Patanjali, que tem vindo a apresentar nos últimos meses:
– No dia 30.07 Samadhi
– No dia 01.10 Yamas e Nyamas
– No dia 29.10 Pratyhara, Dharana e Dhyana (com Rute Caldeira)
– No dia 26.11 Asana e Pranayama.

Clique na imagem para ver o video no nosso canal no Youtube.

Capturadeecrã2017-11-27às13.11.40

Composição da aula:
– Concentração com Pranayamas;
– Aquecimentos: Asanas suaves;
– Preparação à postura objetivo (postura mais complexa);
– Postura Pico (objetivo da prática). Consoante o nível dos praticantes, poderão ter mais do que uma postura;
– Arrefecimento e preparação ao relaxamento;
– Relaxamento: Savasana;
– Prathyara

A aula de nível intermédio, sendo deste modo, acessível a dois tipos de pessoas (além dos praticantes regulares):
– Os que têm conhecimento de Yoga, mas com pouca capacidade física
– Os que não têm conhecimento de Yoga mas com condição física adequada (sem problemas físicos maiores e resistência)
– Não se recomenda a quem nunca fez yoga e com condição física debilitada

Recordamos o seguinte:
As aulas públicas por donativo livro têm por objetivo a divulgação do Yoga como ferramenta de autodesenvolvimento de uma forma acessível.


Deixe um comentário

Yoga e Desporto. Sinta-se bem!

Estar bem consigo próprio e como mundo é uma meta que todos gostaríamos de alcançar. Temos os meios para o fazer e a liberdade de poder escolher as atividades que queremos, desde que ajustadas à nossa agenda sempre muito preenchida. Podemos fazer tudo o que quisermos para estar bem por dentro e óptimos por fora. Queremos o melhor da vida para viver melhor e temos o direito de o desejar!

Quando chegámos à conclusão que algo deve mudar, quando estamos decididos a subir um degrau no nosso bem-estar para obtermos mais satisfação queremos agarrar o “touro pelos cornos” e começamos sempre pelo mais óbvio e visível… A nossa aparência! É então que decidimos mudar o estado das coisas e atiramo-nos de cabeça em práticas desportivas ou atividades que prometem resultados rápidos e visíveis em prazos reduzidos.

EXERCÍCIO FÍSICO, SIM OU NÃO? 

Estas atividades que prometem mudanças radicais são muitas vezes demasiado violen- tas para nós. Podemos, talvez, estar prontos mentalmente, mas fisicamente poderá não ser bem o caso. O que é óbvio é que temos “os olhos maiores do que a barriga” e acabamos por criar lesões que irão demorar meses a curar. A final, não estávamos preparados… Magoamo-nos de forma irremediável, trazendo sofrimento físico, desânimo e perda de força de vontade. Mas se o Running e o Cross-fit não servem para nós, então o que nos resta? Nada, pensamos, pois todos falam deles como sendo uma prática comum e ideal. Ou talvez não… E o Yoga?

É verdade, o Yoga é frequentemente referido como sendo uma moda, mas uma moda já antiga que permanece na boca do povo como se fosse recente. Mas se é falada e se está na boca do povo é porque há resultados e cada vez mais pessoas a falarem sobre isto! E quanto mais divulgado, mais cresce. E se cresce é porque os resultados são visíveis a vários níveis: muda-nos por fora e por dentro, quando praticado com empenho e consciência, trazendo-nos resultados positivos e evidentes. Tanto tonifica os músculos, como acalma a mente, devolve-nos a mobilidade articular e estabiliza as emoções. Até parece magia ou demasiado bom para ser verdade!

 

OS HOMENS E O YOGA

Fala-se muito de Yoga, é verdade, mas existe a possibilidade de ser uma seita esotérica e dizem que até é. Parece ser uma coisa só de mulheres ou de idosos. Uma coisa para meninas hiper flexíveis ou pessoas incapacitadas. Os homens ocidentais são os primeiros renitentes, mas não são os únicos, obviamente. A nossa sociedade não deixa de ser principalmente fundamentada em conceitos sociais de ordem patriarcal (podem argumentar o que quiserem, as coisas são o que são). Mesmo que assumidos como liberais e/ou modernos, há frequentemente barreiras de ordem psicológica e cultural, por vezes bem escondidas no nosso inconsciente.

Seremos, nós, os homens, tão limitados a um Ego machista para continuarmos a criar uma imagem utópica de normalidade? Felizmente, já cheguei a ter aulas onde o número de participantes masculinos se equiparava ao do sexo feminino e não deixam de ver e/ou gostar de futebol, ou até de beber cervejas com amigos (perdoem-me o estereótipo!). Mas, de facto, estas estatísticas podem não ser verdade para a maioria dos estúdios de Yoga nacionais.

DESPORTO VS. YOGA

Também se costuma praticar Yoga como complemento de outras práticas desportivas ou quando não nos encaixamos em mais nada, confundindo-se comumente com alongamentos e/ou aulas de streching. Mas no fundo, o Yoga (neste caso, o Hatha Yoga) é uma forma de recondicionar ao corpo e é uma preparação possível a atividades físicas radicais.

Antes de qualquer prática mais explosiva, dever-se-ia praticar Yoga para ganhar estrutura muscular e mobilidade, e desenvolver consciência corporal. Quando não sabemos onde nos encaixamos, o mais provável é encontrarmos no Yoga uma solução para atingir objetivos pessoais de bem-estar. Mas de facto, é preciso alguma maturidade e superar as limitações criadas pela nossa mente (e pela dos outros). É preciso termos estrutura mental para integrar a sua ética filosófica, como os Yamas e Nyamas, no nosso quotidiano.

Os Yamas e Nyamas são os dois primeiros passos que levam ao autoconhecimento e estão incluídos numa obra de Patanjali, os Yoga Sutras, ou aforismos do Yoga. Os Yoga Sutras mostram-nos que o Yoga não é só uma prática física que fortalece e traz saúde ao corpo. É, antes de mais, uma filosofia de vida. Através dos sutras temos um caminho que nos leva ao autoconhecimento e ao equilíbrio perfeito entre corpo, mente e espírito.

Ao longo do tempo tenho recebido muitas questões sobre a prática de desporto versus a prática de Yoga. Como já referi, as duas podem ser complementares. No desporto deparamo-nos com um aspeto de competitividade que nos pode desmotivar e no Yoga encontramos muitas vezes um contentamento ligado ao desenvolvimento da autoconsciência.

O Yoga poderá então ser suficiente para si ou poderá de facto precisar dos dois para equilibrar a sua vida. O Yoga não é para todos, é para quem tem maturidade suficiente para querer mudar por dentro e por fora, e também mudar a sua visão do mundo, assumir o controlo da sua vida tomando decisões sem influências subjetivas da sociedade através de autodisciplina, ética e moral permanentes.

A vontade de praticar procura, no fundo, responder a duas necessidades do crescimento espiritual: criar foco para a mente e criar consciência corporal: E porque quero praticar Hatha Yoga? Para manter a mente concentrada, manter a forma física, para fins terapêuticos ou para criar disciplina física/mental.

dsc4930.jpg