Slow Living Yoga

O Blogue dos Yogis que vivem na cidade.


2 comentários

Curso de professor de Yoga 2018-2019

As aulas práticas de yoga (ainda que regulares) nem sempre permitem uma incursão e exploração dos ensinamentos mais abrangentes do yoga e, as pessoas que sentem que o seu caminho passa pelo yoga sentem, por vezes, a necessidade de parar e procurar saber mais e saber melhor sobre o que as colocou neste caminho e o que ele pode reservar e oferecer.

O caminho nem sempre é o mais óbvio. Às vezes o nosso percurso não é aquele que nos prepararam para percorrer nas escolas, faculdades e outras instituições por onde passámos. Às vezes, é fora da nossa zona de conforto que ele se encontra (ou que nos encontra). Outras vezes, saltamos o passo mais importante: convencer a nossa mente que precisamos de esforço para que haja resultados. Lembra-se da definição que Einstein deu de loucura? Fazer a mesma coisa todos os dias e esperar resultados diferentes.

Mudar exige uma mudança. Mas para que as mudanças aconteçam, é preciso força de vontade e assumir um compromisso sério…

Se quer saber mais sobre Yoga e está mesmo a pensar em seguir em frente, leia um pouco mais sobre as experiências de quem já trilhou esse caminho, sobre as alternativas que tem disponíveis e sobre o Curso de Professores de Hatha Yoga que o Jean Pierre dirige todos os anos.

Já ouviu falar dos Yoga Sutras de Patanjali? A resposta a todas as nossas perguntas, está no primeiro Sutra: «Atha yoganusasanam»: Agora, o Yoga começa.

Se quiser saber mais sobre a nossa formação, contacte-nos via o email:
info@yoga-spirit.pt

IMG_5671


Deixe um comentário

E agora, o Yoga começa

A vida passa, o tempo esgota-se sem darmos por isso. Todos sentimos o mesmo. E sentimos que queremos retirar mais desta vida, destes momentos que nos passam entre os dedos como se fossem grãos de areia. Queremos sentir que algo permanece, que a nossa presença física e que as nossas ações não sejam só uma memória. Queremos sentir que tudo o que fazemos, não seja só uma história passada, da qual só nos resta vagas recordações que vão desvanecendo com o tempo. Mais ainda, queremos que as memórias deixem de ser recordações e que permaneçam connosco e com os outros, que nos acompanhem na nossa jornada de seres humanos, a cada momento e para todo o sempre. Queremos não ter de olhar para trás para criarmos o sentimento e a sensação segura que a nossa vida valeu a pena, e que depois de deixarmos este corpo, que algo subsista na consciência universal e que tenha alguma utilidade para a expansão da mesma.

Queremos praticar yoga, achamos que “é por aí” que nos faz sentido caminhar para responder a esta necessidade de valorizar a nossa existência. O yoga é uma forma de se alcançar várias coisas ao mesmo tempo e por vezes nem sabemos o quê, nem sabemos bem qual o nosso objetivo final, mas temos a nítida intuição que faz parte do nosso desenvolvimento, e isto, também não sabemos bem porquê. Talvez queiramos alcançar algo que nos faça sentir bem…e de todas as opções que nos foram apresentadas, o Yoga é aquele que nos atrai mais, que nos seduz mais, por ser uma modalidade “filosófico-prática”, em volta de ciência mística e de filosofia milenar, por estar sempre à mão e ser completamente exótica ao mesmo tempo, por não requerer nenhuma habilidade específica em particular e porque a sua principal ferramenta somos nós mesmos. Isto, todos temos, porque está aí ao nosso alcance, ou pelo menos assim parece…

Parece tão simples mas continuamos a deixar passar o tempo, e ele passa, vai, e acaba por se confundir com a nossa imaginação. Deixamos de acreditar que a um certo ponto o que perdemos já foi o presente. E passamos o presente a reviver este passado perdido para não o esquecermos de forma definitiva. Parece mesmo uma história de loucos, e os loucos, somos nós mesmos. E é este quebra-cabeças que o Yoga nos promete resolver dando-nos os meios necessários para encontrar as soluções adequadas, e é o que nos prende, porque nos desafia a superarmos a nossa mente. É um desafio interior que exige de nós que se aceite o facto de sermos o único e principal interveniente do jogo, acarretando com todas as responsabilidades que levaram ao tipo de vida que temos agora, às mágoas que nos pesam, às dificuldades que nos endurecem, aos obstáculos que nos enfraquecem. Uma vez entendidas as regras do jogo, é um jogo que nunca vamos deixar.

Mas, ao acharmos que nos aproximamos da solução e que começamos a entender os princípios deste jogo psicológico, ao desenvolver continua e gradualmente uma visão diferente do mundo que nos rodeia, esta nova consciência mais expandida que se foi desenvolvendo silenciosamente irá criar por si novos desafios que nos levarão cada vez mais próximos de chegar à conclusão que temos de nos desprender do que era o nosso objetivo inicial, para que este seja finalmente alcançado. Teremos assim aprendido ao mesmo tempo o verdadeiro sentido do desapego, tornando-nos mais maduros e mais sábios. E ao alcançar este objetivo final, este mesmo irá levar-nos onde queríamos estar sem darmos por isso: Aqui e Agora.

O yoga é esta ciência, o método que nos dá as ferramentas para mantermo-nos no tempo como se estivéssemos a viver em modo de câmara lenta, permanecendo nos momentos que nos fazem sentir mais vivos, em suma, é viver em permanência com a consciência do momento presente, em estado de iluminação, em Samadhi. Viver em modo de yoga é viver no “aqui e agora” e é quando percebermos este Sutra de Patanjali: atha yoga anushasanam. E agora, o Yoga começa.

O primeiro dos ensinamentos de Patanjali para entendermos o que é o yoga, é afinal, também o último.

IMG_6752


Deixe um comentário

Os portugueses estão mudar

Os portugueses estão diferentes. De uma época onde não se tinha quase nada, para outra em que a abundância não parava de jorrar, parece que estamos a entrar finalmente numa fase de mais equilíbrio. Começa-se a optar mais pela qualidade dos bens do que pela simples qualidade subjectiva inerente as marcas que os promovem. Começa-se a racionalizar as despesas e racionalizar as escolhas, a viver-se mais pelo Ser do que pelo Parecer.

Depois de tantas mudanças e em tão poucos anos, os portugueses estão a ficar diferentes, conscientes do que querem, conscientes do que precisam. Conscientes que o equilíbrio está no meio termo entre o bem-estar físico e o bem estar-emocional. Há coisas que não mudam… o poder politico, o poder financeiro, o sentimento de poder por ter muito conhecimento e a modestia dos que entendem os erros da mente. Há, contudo, abertura para a mudança e para evolução e, felizmente, assim tem sido ao longo dos anos.

Nunca se falou tanto e se praticou tanto o Yoga. É verdade! A imagem desta filosofia tem-se alterado, adaptando-se aos que a procuram, preenchendo as necessidades de auto-realização individuais, ao ritmo de cada um e na dose certa e de facto, têm aparecido cada vez mais curiosos, cheios de vontade em entender e usufruir dos benefícios tão falados e bajulados desta prática milenar, situada entre o misticismo e a lógica implacável da realidade de ser um Ser holístico.

A prática de Yoga tem-se amplificado no mundo inteiro, o número de praticantes vai aumentando gradualmente. Parece que estamos a chegar ao ponto em que o Yoga está-se a tornar a ferramenta de bem-estar do futuro, para nos manter saudáveis e realizados.
Dar aulas abertas de Yoga onde chega a aparecer até 150 pessoas, parecia impensável ainda há uma década para ser hoje uma verdade bem real.

Sim, os portugueses estão mudar, estão a crescer e a aprender a tirar o melhor partido da vida e o Yoga está aqui para ajudá-los, cada vez e, quando precisarem. Os portugueses de hoje querem ser nutridos por dentro e por fora e estão a perceber que este alimento só lhes poderá ser facultado por eles próprios.

Namastê.

22310621_206986816508173_6196111142076551530_n

Créditos da foto: Pigmenta Fotografia


Deixe um comentário

Um mundo de mulheres

Estava com vontade de escrever para marcar o dia da mulher (ou dia das mulheres) e depois pensei: enquanto houver necessidade de um dia das mulheres, haverá desiguales. Eu quero mesmo um mundo melhor onde não se olhe ao género, as preferências, as cores da pele ou as origens genéticas e vou sempre falar e agir desta forma, não sendo necessário um dia especial. Esta é a minha atitude para com todos, com tudo e todos os dias.

Não me interpretam mal por favor, mas acho que as mulheres já dominam este planeta ! Das Kardashians a Madre Teresa, entre muitas outras,  espalhando a sua influência em todos os aspectos relativos a nossa vida.

Enquanto me debruço profissionalmente, numa área dominada pelas mulheres, e procuro criar uma carreira que corresponda as minhas aspirações dou-me conta que, por mais incrível que pareça e embora se afirme o contrário, ou seja que o poder económico e politico seja dos homens, tudo na nossa sociedade ocidental moderna, medias & e social medias, está direcionado para as mulheres… Impressa, TV, cosmética, alimentação e por ai fora… As mulheres são quem decide,  as mulheres são quem opina, as mulheres são quem compra… Toda a gente sabe que quando um casal se apresenta para comprar um produto ou um serviço, quem tem a última palavra é sempre a mulher, e isto não é só um cliché.

Mas afinal onde está o poder? A sério, não percebo. Estou confuso…

Se sabemos que os medias têm uma influença enorme nas massas e que as revistas de lifestyle mais vendidas são as femininas, como é que ainda não chegamos a um ponto de equilíbrio entre géneros ? Continua a ser verdade e existe desigualdades, e devemos abrir os olhos aos que não sabem… Mas afinal alguém não sabe disto? Envia-se naves pelo espaço, fala-se de inteligência artificial, de mudanças de paradigma, de elevação da consciência, de um novo mundo, uma nova era… E continuamos a bater na mesma tecla?

É claro que se quiser falar de Yoga, terá de ser em revistas femininas (esperem ai… estaremos-nos a chegar ao ponto deste raciocino onde concluímos que feminino e feminista são conceitos diferentes?).  É um pouco estranho estar a escrever isto, e sei como é claro, que estas palavras têm um sentido diferente… Mas será que as próprias mulheres desistiram do seu poder em ser feministas e que se acomodaram mesmo do seu próprio feminismo? Mulheres!! Podem continuar a acreditar que precisam de lutar para ter mais direitos, e talvez não tenham reparado ainda, mas já têm todo o poder nas vossas mãos para criar um mundo equilibrado, sem diferenças. Continuamos com estas conversas? Eu não dou aulas mais “fracas” por ter mais mulheres nas minhas aulas, isso garanto-vos.

Ainda hoje li um post da Gal Gadot no instagram, relembrando que ser feminista é desejar igualdade de direitos, mais uma vez pensei: enquanto se continuar a marcar a necessidade de manifestar desigualdades, estaremos uma vez mais a vincar as diferenças. Não me sinto confortável com isto… Tinha de escrever sobre este sentimento.

Mulheres, sejam femininas mas sejam sempre feministas. Eu digo: Mulheres, o poder já é vosso. Deixem de lutar contra as desigualdades e sejam a mudança que (todos) desejamos.

Se afinal toda gente sabe, se toda gente concorda e que somos ser espirituais a viver num corpo físico, porque estamos sempre a bater na mesma tecla? Mulheres, vocês são quem manda nisto tudo! Ainda não tinham reparado? Não quero mais que haja um dia das mulheres, eu quero um dia do Ser humano e afinal não quero só um dia, quero que seja todos os dias e em todos os cantos do planeta. Este é o mundo espiritual como eu o vejo.

E para todas as mulheres que não têm a sorte de viver no mundo ocidental, que sofrem da brutalidade humana, da cegueira egoísta que a sede de poder, a ignorância e o medo criaram, tenho-vos no meu coração.

Dia feliz.

22405540_206986286508226_1914236436700745093_ncréditos da foto: Pigmenta Fotografia


Deixe um comentário

Jean-Pierre de Oliveira no Porto – 9 e 10.12

O professor de Yoga,  Jean-Pierre de Oliveira, estará no Porto para uma sessão dupla de Yoga. Confirme a sua presença, num ou nos dois eventos, via o email: info@yoga-spirit.pt

No dia 9.12 | Jean-Pierre estará no Estudio de Yoga FreeFlow para apresentar o seu Livro, Slow Living Yoga, “Primeiro mudamos nós. Depois mudamos o mundo.” Edições ARENA.
Mais do que um livro, é essencialmente uma partilha intimista de pensamentos relacionados com a aplicação dos princípios filosóficos do Yoga na vida ao quotidiano.

Local: FreeFlow, Rua Vale Formoso, 284 (perto do Jardim da Arca d’Água)
4200-509 PORTO
Para saber mais, veja o evento no facebook: Aqui!

Para ver a entrevista do Jean-Pierre no programa “Faz Sentido”, clicar na imagem.

Screen Shot 2017-11-08 at 09.55.54

No dia 10.12| Todos os meses Jean-Pierre de Oliveira oferece uma prática de Yoga em Lisboa, e agora pela primeira vez no Porto. Não perca está oportunidade de praticar com um dos embaixadores do Wanderlust Portugal.

Com os seus habituais encontros mensais, que já atraem mais de 150 pessoas em Lisboa, tendo lugar reservado a cada último domingo, Jean-Pierre de Oliveira convida-o a participar na conhecida aula por donativo livre.

Local: Antas Prime FitnessRua Prof. Bento Jesus Caraça, 314, Porto
Para saber mais, veja o evento no facebook: Aqui!

                              Para ver o video da última aula comunitária em lisboa, clicar na imagem.

Capturadeecrã2017-11-27às13.11.40-2


Deixe um comentário

Video | Aula de Yoga Completa

Créditos do video, edição e montagem: Ricardo Costa

Com os seus habituais encontros mensais, que já atraem mais de 150 pessoas, tendo lugar reservado a cada último domingo, Jean-Pierre de Oliveira convida-o a participar na conhecida aula por donativo livre.
Esta celebração foi no dia 26 de Novembro, das 10h 30mns às 12h.
Neste domingo, o Professor terminou com o último ciclo dos 8 Ashtangas de Patanjali, que tem vindo a apresentar nos últimos meses:
– No dia 30.07 Samadhi
– No dia 01.10 Yamas e Nyamas
– No dia 29.10 Pratyhara, Dharana e Dhyana (com Rute Caldeira)
– No dia 26.11 Asana e Pranayama.

Clique na imagem para ver o video no nosso canal no Youtube.

Capturadeecrã2017-11-27às13.11.40

Composição da aula:
– Concentração com Pranayamas;
– Aquecimentos: Asanas suaves;
– Preparação à postura objetivo (postura mais complexa);
– Postura Pico (objetivo da prática). Consoante o nível dos praticantes, poderão ter mais do que uma postura;
– Arrefecimento e preparação ao relaxamento;
– Relaxamento: Savasana;
– Prathyara

A aula de nível intermédio, sendo deste modo, acessível a dois tipos de pessoas (além dos praticantes regulares):
– Os que têm conhecimento de Yoga, mas com pouca capacidade física
– Os que não têm conhecimento de Yoga mas com condição física adequada (sem problemas físicos maiores e resistência)
– Não se recomenda a quem nunca fez yoga e com condição física debilitada

Recordamos o seguinte:
As aulas públicas por donativo livro têm por objetivo a divulgação do Yoga como ferramenta de autodesenvolvimento de uma forma acessível.


Deixe um comentário

Yoga | Aula por donativo livre 26.11.18

Aula de Yoga Comunitária celebra regresso da chuva- Espaço Anjos 70

 Com os seus habituais encontros mensais, que já atraem mais de 150 pessoas, tendo lugar reservado a cada último domingo, Jean-Pierre de Oliveira convida-o a participar na conhecida aula por donativo livre, no Espaço Anjos 70.

Esta celebração será já no próximo dia 26 de Novembro, das 10h 30mns às 12h.

Neste domingo, o Professor termina com o último ciclo dos 8 Ashtangas de Patanjali, que tem vindo a apresentar nos últimos meses:
– No dia 30.07 Samadhi
– No dia 01.10 Yamas e Nyamas
– No dia 29.10 Pratyhara, Dharana e Dhyana (com Rute Caldeira)
– No dia 26.11 Asana e Pranayama. Ver no facebook

Neste domingo, homenageando o regresso da chuva, a aula será composta da seguinte forma:
Concentração com Pranayamas;
– Aquecimentos: Asanas suaves;
– Preparação à postura objetivo (postura mais complexa);
– Postura Pico (objetivo da prática). Consoante o nível dos praticantes, poderão ter mais do que uma postura;
– Arrefecimento e preparação ao relaxamento;
– Relaxamento: Savasana;
Prathyara

A aula é de nível intermédio, sendo deste modo, acessível a dois tipos de pessoas (além dos praticantes regulares):
– Os que têm conhecimento de Yoga, mas com pouca capacidade física
– Os que não têm conhecimento de Yoga mas com condição física adequada (sem problemas físicos maiores e resistência)
– Não se recomenda a quem nunca fez yoga e com condição física debilitada
– Se o praticante tiver um tapete, deverá levá-lo. Em alternativa, poderá levar uma toalha de praia.

Recordamos o seguinte:
As aulas públicas por donativo livro têm por objetivo a divulgação do Yoga como ferramenta de autodesenvolvimento de uma forma acessível.
. Nível de prática: moderado
. Horário: das 10h 30mns às 12h.
. Tempo aproximado da prática: 1h30mns

IMG_5317

Sobre Jean-Pierre de Oliveira:

Com milhares de aulas dadas por ano, o professor e orientador da prática, tem vindo a apurar o seu próprio estilo. Muito informal a abordar a filosofia do Yoga, tem cativado um número crescente de interessados na matéria.
Fundador do projeto Yoga Spirit, o professor tem mudado a visão do Yoga em Portugal, através das aulas e palestras sobre esta filosofia hindu. Para além disso, inova nas modalidades com forte adesão. Entre as quais destacamos o Hot Yoga, o Yoga Pure, o Yoga Tónico, e o Yorganic.

A sua paixão pelo estudo das ferramentas disponibilizadas pelo Yoga levou-o a ser ampla e continuamente divulgado nos Media a nível nacional. Jean-Pierre de Oliveira lançou o seu primeiro livro a 20 de setembro 2017, Slow Living Yoga. Embaixador do Evento Wanderlust 108 (realizado pela primeira vez em Portugal no passado dia 8 de Outubro).

. Confirme a sua presença via info@yoga-spirit.pt
A participação por donativo livre permite a repetição de eventos. Participe e consulte as próximas datas no website da Yoga-Spirit – www.yoga-spirit.pt/eventos